FOTOGRAFIA E
TRANSFORMAÇÃO
SOCIAL

Com Milton Guran

Sobre

Nesta oficina tratamos das várias vertentes da fotografia produzida como um instrumento de transformação social, abordando os aspectos técnicos e estéticos de sua realização. Apresentamos e analisamos exemplos de fotografia e documentação social; fotografia humanista; fotografia humanitária e fotografia como instrumentos de inclusão social, a partir de obras consagradas de autores brasileiros e estrangeiros.

​​

Data: 19, 20 e 21.03.21

Horário: 10h as 12h

press to zoom
Gente Não é Lixo
Gente Não é Lixo

press to zoom
Anistia.1978.M. Guran.
Anistia.1978.M. Guran.

press to zoom

press to zoom
1/3

Milton Guran

 

É fotógrafo, mestre em Comunicação Social (UnB, 1991) e
doutor em Antropologia (EHESS, França, 1996), com pós-doutorado na USP (2004-2004). Foi um dos fundadores da AGIL Fotojornalismo (Brasília, 1980) e fotógrafo do Museu do Indio / Funai (1986 – 1989). Ganhador da Bolsa Vitae de Artes (1991) e, por duas vezes, do prêmio Marc Ferrez da Funarte. Em 2016, foi contemplado no programa Rumos Itaú Cultural – http://acervoaguda.com.br/.

 

Seus trabalhos fazem parte das coleções
MASP-Pirelli, do MAM-Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAR - Museu de Arte do Rio e da MEP - Maison Européenne de la Photographie, dentre outras,  públicas e privadas. Autor de Linguagem Fotográfica e Informação (2005, 3ª ed.) e Agudás – Os Brasileiros do Benin (2000), dentre outras obras e artigos no campo da fotografia e da antropologia. Curador na área de fotografia, é um dos coordenadores do FotoRio e vice-presidente da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil.